Captação de água da chuva em condomínios é solução para economia de água

A captação da água da chuva em condomínios pode reduzir o consumo em até 50%, além de diminuir a pressão sobre o recurso natural escasso que é a água.

A captação da água da chuva em condomínios é uma ferramenta que está chamando cada vez mais atenção dos moradores de prédios. Existe até um projeto de lei em tramitação no Senado que torna obrigatório que novas edificações incluam no projeto o reaproveitamento da água da chuva para fins não potáveis. Mas edifícios já construídos também podem se adaptar e incluir cisternas no sistema de abastecimento de água do condomínio.

As cisternas são reservatórios que captam e armazenam a água da chuva (entenda mais como esse sistema funciona na matéria “Captação de água de chuva: conheça as vantagens e cuidados necessários para o uso da cisterna“) e além de pouparem esse recurso escasso, existe um benefício econômico de quase 50% no consumo. A água pluvial (das chuvas) pode ser aproveitada para fins não potáveis, como limpeza de áreas comuns, irrigação de jardins, descargas de vasos sanitários, lavagem de carros, sistemas decorativos aquáticos, tais como fontes, chafarizes, espelhos e quedas d’água, reserva de proteção contra incêndios, entre outros.

Mas como fazer a captação da água da chuva em condomínios? Primeiramente, deve haver planejamento, saber qual o volume que será captado, o melhor local de instalação e onde a água será captada. Os telhados são os locais mais fáceis de captar água – pode ser o telhado do prédio, do salão de festas, da churrasqueira… O melhor custo benefício é aproveitar a própria estrutura do prédio para instalar o sistema de abastecimento por água da chuva. Pode-se instalar o reservatório em locais mais elevados e, por gravidade, a água poderá ser utilizada em mangueiras ou retirada manualmente. Para conseguir saber o tamanho da cisterna que você deverá utilizar, basta pegar o tamanho do telhado (em metros quadrados) e multiplicar pela altura do índice pluviométrico da região (em metros), ou seja, a quantidade de chuva. Assim, o resultado será o volume em litros que chove na sua região.

Caso haja interesse, com um maior investimento, empresas especializadas podem otimizar o uso de água pluvial. A água captada pode ser enviada para um segundo tanque e se conectar a uma rede específica de encanamentos para abastecer os apartamentos individualmente. Deve-se analisar as plantas hidráulicas do prédio estudando a viabilidade do projeto e apresentar os pontos de conexão de preferência mais adequados sem impactar o sistema hidráulico original.

Entretanto o mais comum é a utilização da água da chuva em áreas comuns do condomínio, sem grandes modificações na estrutura hidráulica, de modo que o investimento é relativamente baixo e os ganhos são significativos. O custo de uma cisterna varia de acordo com seu volume de armazenamento; a Tecnotri fabrica cisternas verticais feitas de material 100% reciclado de volumes até mil litros a um preço de aproximadamente R$ 1800, e que podem ser interligadas com outras aumentando a capacidade de armazenamento. Existem outras opções de sistemas de captação de águas pluviais como as minicisternas ou cisternas para captação da água da máquina de lavar (saiba mais aqui).

Apresente ao síndico a proposta de aproveitamento da água da chuva e torne seu condomínio mais sustentável. Essa solução apresenta diversas vantagens para todos os moradores do edifício.

Veja o vídeo sobre como funcionam as cisternas residenciais.

Fonte: eCycle

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s